Quer mais leituras?

Voltar

A cidade mais romântica do mundo

A cidade mais romântica do mundo, na minha opinião e na opinião de muita gente, é Bruges, a linda cidade belga que, por ser cortada por vários canais, é conhecida como a “Veneza do Norte”. Trata-se de uma cidade bastante festejada pelos turistas, considerada romântica e apontada como destino perfeito para uma lua de mel. Em 2018, Bruges teve mais de 8 milhão e 300 mil visitantes – todos em busca dessa atmosfera de romantismo que a cidade exala. Abaixo, algumas dicas sobre Bruges, de como aproveitar mais esse cantinho belga.

A cidade mais romântica do mundo: para chegar lá

A partir de Bruxelas, leva-se, apenas uma hora de trem. De Paris, menos de três horas. Os tickets custam em torno de 30 euros – ida e volta. Mas é interessante ficar atento às promoções de fim de semana, férias, idosos, menores de 26 anos, família…para todas essas categorias tem um desconto.

Quanto tempo ficar:

Há quem faça um bate e volta e passe apenas um dia na cidade. Mas, não acho suficiente para explorar tudo o que Bruges tem de interessante. O Centro Histórico, com mais de 900 anos, por exemplo, é considerado Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO. Portanto, é preciso tempo para constatar o título, concorda comigo? Eu sugiro, no mínimo, dois dias inteiros.

O que fazer
Antes de tudo, é preciso fazer um reconhecimento da cidade e a melhor forma é com um passeio de barco – o tíquete é pago com dinheiro, em torno de 8 euros. O passeio é perfeito para observar a bela arquitetura, as igrejas e prédios que ficavam às margens dos canais, o movimento das pessoas em suas bicicletas. Fazer esse reconhecimento pegando uma charrete também é uma ideia.

De bike

Além do barco, a bicicleta também é uma opção. Sair sem destino, explorando as belezas e desbravando ruas antigas e estreitas, é um programa e tanto. A cada esquina, vamos descobrindo lugares e ruas interessantes e com nomes curiosos, como por exemplo, a Rua do Burro Cego, ao lado da prefeitura, e a Rua do Ganso.

O que você não pode deixar de visitar:
Igreja de Nossa Senhora
Essa igreja católica levou 200 anos para ser construída e a sua torre é a mais alta da cidade: 122 metros de altura. No seu interior estão os túmulos de Carlos, Duque de Borgonha, e de sua filha, a Duquesa Maria. A igreja tem uma Madona, em mármore branco, obra de Michelangelo.

Basílica do Santo Sangue
A basílica do Santo Sangue teve início com a construção da capela inferior, no século 12, para receber as relíquias de São Basílio, o Grande. Na capela superior, está guardada uma relíquia doada pelo patriarca de Jerusalém, em 1148: um pequeno vaso de cristal, do século 11 ou 12, com uma lã de carneiro impregnada com o sangue de Cristo.

Kantcentrum and Lace School
Essa instituição, que na verdade é o Museu do Laço, não deixa que morra uma das tradições mais bonitas de Bruges: a renda. Nesse centro, além de conhecer a renda belga, é possível aprender a fazê-la ou, no caso dos turistas, comprá-la. São vários tipos para escolher.

Grote Markt
Na praça principal, o coração da cidade, está o mercado. Este é um dos cartões postais de Bruges e, portanto, um dos pontos mais visitados. A arquitetura colorida, as lojas e restaurantes, bares e cafés que cercam a praça são um convite para passar a tarde inteira nesse cenário de sonho.

Burg
Na praça Burg, pertinho da Praça do mercado, fica um dos prédios mais bonitos da cidade: a prefeitura – uma verdadeira obra-prima, cuja fachada, de autoria do artista Jan Van Eyck, foi destruída pela população, em 1790. Agora, está devidamente recuperada, mas a fachada já não é a original.

Campanário
Nessa mesma praça está o campanário. Construído em 1240, ele servia de sala de reunião dos magistrados da cidade. Em 1280, um incêndio destruiu a torre e os arquivos e só em 1300, a população teve seu campanário de volta. Com 83 metros de altura, o carrilhão conta com 47 sinos. A subida de 366 degraus é puxada, mas vale a pena. A vista que se tem de Bruges e arredores é deslumbrante.

Ponte de São Bonifácio
Essa ponte, que fica na parte mais antiga de Bruges, é de 1910. O estilo antigo chama a atenção dos turistas e todos fazem fila para atravessá-la e/ou fazer uma foto ali. A dica é ir cedinho para fazer uma coisa ou outra. E por que não as duas?

Hospital Medieval de São João
Há mais de 800 anos, o Hospital São João atende os pobres, os peregrinos e viajantes que passam por Bruges. Fica ao lado da Igreja de Nossa Senhora e hoje funciona como museu. Vale a visita porque se trata de uma bela construção medieval e pelas obras de arte, os arquivos, vários instrumentos médicos, além da igrejinha e da farmácia.

Museus de Bruges
Em 2018, os museus de Bruges receberam mais de 800 mil visitantes. Os temas são os mais variados: da Batata frita, do chocolate, da cerveja, do laço, do diamante, da lâmpada, do folclore, arqueológico, da tortura, de Salvador Dalí e mais alguns. Para uma visita rápida, o Groeninge é uma sugestão. Ele tem apenas dez salas e nesse museu, o visitante vai ter uma ideia das artes plástica do país.

Antiguidades
As feirinhas de antiguidades se espalham pela cidade. E a gente sempre encontra alguma coisa interessante para comprar. Difícil é se controlar.

Culinária
A culinária belga é parte importante numa viagem à romântica Bruges. Na verdade, é uma das melhores do mundo. Ouso dizer que se parece com a francesa, mas em maiores quantidades. A batata frita, com já disse, tem até museu na cidade. Os belgas se orgulham de fazer o melhor waffle do mundo e o chocolate, que também tem museu, dispensa comentários. Godiva, The Chocolate Line e Dumon são algumas das muitas marcas espalhadas pelas ruas de Bruges. E ainda tem os doces e a cerveja – imbatíveis.

Nesse cenário de contos de fadas, Bruges arrebata o título de cidade mais romântica do mundo. Quem já foi vai concordar comigo.

Texto e Imagens: Jornalista Sônia Pedrosa, Blog Existe um Lugar no Mundo
Link: http://existeumlugarnomundo.com.br

A cidade mais romântica do mundo