Quer mais leituras?

Voltar

Bratislava Express – bate e volta de um dia à capital da Eslováquia

Por Wendell Almeida (*)

A capital da Eslováquia, Bratislava, é a única do mundo que fica tão próxima da fronteira com outros dois países. Sua distância, de apenas 79 quilômetros, a partir de Viena, na Áustria, e 200 quilômetros de Budapeste, na Hungria, torna convidativa, para aqueles que estão nos países vizinhos, uma visita, nem que seja de apenas um dia, a esta charmosa cidade de ares medievais.

Convido-o a ler o relato de uma visita rápida, porém prazerosa, que fiz a Bratislava, a partir de Viena.

Localizando no tempo e espaço…
Apesar de sua existência remontar a antes de Cristo, a Eslováquia, ou República Eslovaca, enquanto país independente, é de constituição recente. Dissidente amigável da Checoslováquia desde 01 de janeiro de 1993, pertenceu, antes disto, a vários impérios, como o Húngaro, o de Hapsburgo e o Austro-Húngaro; além de ter sido invadida por nazistas e soviéticos.

Atualmente com população de aproximadamente 5 milhões de habitantes, composta principalmente de eslovacos étnicos, tem uma das economias mais crescentes da União Europeia.

O país fica na Europa Central, e faz fronteira com a República Tcheca, Áustria, Hungria, Polônia e Ucrânia.

Programando a visita
Numa passagem de 5 dias por Viena, decidi, meio que na véspera, sacrificar um dia para visitar Bratislava. Afinal de contas, sabe-se lá se eu teria novamente oportunidade de estar ali, tão perto.

Comprei os bilhetes através do aplicativo de celular Omio. Prático, seguro e funcional. Minutos antes do embarque, fui notificado pelo próprio aplicativo sobre a plataforma de onde o trem partiria. Ajudou muito! O bilhete me custou EUR 24 ida e volta. Havia a opção de ir de ônibus também, basicamente pelo mesmo preço.
Optei pela empresa Regiojet, mas há outras, como a OBB Rex. O trem não é de alta velocidade, como os que fazem outros destinos na Europa, mas é super confortável, com comida e bebida oferecida por um preço módico.

Ué, já chegou?
Saí da estação central de Viena (Wienn Hauptbahnhof) 08h16, e às 09h22 já estava em Bratislava (Hlavná Stanica). O horário foi programado para chegar a tempo de pegar o free walking tour que sai da praça central (Frantiskanske Namestie, 811 01). Chamei um uber na estação de trem e segui para lá, onde um grupo de aproximadamente 15 pessoas, de diferentes partes do mundo, já aguardava.

Juntei-me a eles para acompanhar o guia, um jovem de vinte e poucos anos, super simpático e bem humorado, que nos levou num tour de aproximadamente 3 horas, para conhecer os principais pontos da cidade.

Praça Hlavné
A Praça Central de Bratislava é local de passagem obrigatória de todos os que visitam a cidade. A arquitetura de seus edifícios chama a atenção pela ausência de uniformidade arquitetônica dos prédios, cada um com estilo próprio; do gótico, típico das cidades medievais, ao art nouveau, mais moderno.

Ali estão localizados a Fonte de Rolando – um chafariz construído em 1572; a antiga prefeitura, com sua torre amarela, datada de 1370, de onde se obtém uma linda vista da cidade; e o Museu da Cidade (entrada EUR 5).

Slovak National Theatre
Na saída da praça principal, passamos pelo Old National Theatre, fundado em 1920, num lindo edifício de arquitetura neo renascentista. Em 2007 sua sede mudou para um novo prédio, maior e mais moderno, deixando o antigo como símbolo da cultura eslovaca, que apresentou durante tantos anos.

As famosas estátuas de Bratislava
Caminhar pelas ruas de Bratislava é garantia de encontrar, inesperadamente, estátuas de bronze espalhadas pela cidade. Seja para homenagear ou apenas para descontrair, verdadeiras esculturas, de artistas renomados, são localizadas em pontos de passagem, atraindo os turistas, que adoram fazer poses para uma fotografia.

Čumil – Man at work
Esta estátua feita de bronze, de um operário observando o movimento, de dentro de um bueiro, fica na esquina das ruas Laurinská e Panská, e é obra do renomado artista eslovaco Viktor Hulík. Queridinho de locais e turistas, é considerado um dos “pontos turísticos” mais fotografados de Bratislava.

Souvenirs
Estando ali, na esquina das ruas Laurinská e Panská, aproveite para comprar souvenirs de Bratislava. Há várias opções de lojinhas, com diversidade de produtos e preços.

Schöne Náci
Esta escultura de prata (a única da cidade feita desta matéria-prima), está localizada na Rybárska brána 217/1, 811 01 Staré Mesto. Trata-se da estátua de Ignar Lamar, que, segundo a lenda, ficou louco em razão da rejeição da mulher amada e, por conta disto, começou a oferecer flores para mulheres desconhecidas nas ruas. A imagem nos passa uma sensação agradável, de boas vindas.

Soldado de Napoleão Bonaparte
Localizado na praça principal da cidade (Hlnavé), esta estátua retrata Hubert, um soldado de Napoleão Bonaparte, que esteve em Bratislava em 1805. Segundo a história, após se apaixonar por uma moça da cidade, ele supostamente se negou a seguir com as tropas, ficando em Bratislava.

Niemand – Pičús
Obra do artista Viktor Frešo, representa um homem pequeno, com um expressão ranzinza e mau humorada. Está localizada na Beblavého 287/4, 811 01, na subida para o Castelo de Bratislava. Uma parada para fotos é certa entre os grupos de walking tour.

Outras inúmeras esculturas e estátuas são encontradas pela cidade. É bom prestar atenção por onde passa, para não perder nenhuma delas de vista!

Portão de São Miguel
Uma das entradas de Bratislava, quando a cidade ainda era toda murada, o Portão de São Miguel data do Séc. XIV. O local abriga hoje o Museu da Fortificação Medieval com exemplares de armas e vestimentas da época em que era necessário proteger a cCastelo de Bratislava
Visto de qualquer ponto da cidade, o Castelo de Bratislava, cuja construção iniciou no Séc. X, é a principal atração da cidade, não ficando de fora do roteiro de nenhum visitante.

idade contra invasores (entrada EUR 5).

No entorno do local, há diversos restaurantes e cafés, onde é possível fazer uma pausa na caminhada para descansar e observar o movimento dos transeuntes.

Catedral de São Martinho
Catedral da Arquidiocese Católica Romana de Bratislava, é a maior e uma das mais antigas igrejas da cidade. Sua torre de 85 metros, que fazia parte das fortificações medievais, domina o horizonte do centro histórico, e enriquece o complexo pela sua proximidade do Castelo de Bratislava.

Construída no Séc. XIII, em estilo gótico, a igreja possui no topo de sua torre uma coroa verde e dourada, pesando 8 quilos de ouro. Em seu interior, estão os restos mortais de São João, o Misericordioso, que morreu no início do século VII.

Memorial do Holocausto
Durante anos existiu, ao lado da catedral, uma sinagoga, a qual, todavia, juntamente com outros edifícios, foi demolida em 1970 pelo governo comunista, para dar lugar à ponte Nový Most. Um memorial ao holocausto – Pamätaj e um monumento em homenagem à Sinagoga destruída foram erguidos no local.

Castelo de Bratislava
Visto de qualquer ponto da cidade, o Castelo de Bratislava, cuja construção iniciou no Séc. X, é a principal atração da cidade, não ficando de fora do roteiro de nenhum visitante.

Localizado no alto de uma colina, sua posição estratégica fez dele um dos principais pontos de defesa da cidade. Lá de cima, é possível avistar as fronteiras com a Áustria e a Hungria, o que torna a visita ao local ainda mais interessante.

Incêndio
O prédio, na verdade, não é a construção original, que sofreu um incêndio em 1809, e ficou em ruínas. Uma longa reforma, todavia, o reconstruiu, devolvendo-lhe a posição de mais imponente atração de Bratislava.

Atualmente, serve como residência oficial do Presidente da República e, por conta disso, a segurança é intensificada no local e redondezas. É possível ver a troca da guarda no meio da visita.

UFO Tower, na Ponte SPN
Como a maioria das cidades turísticas, Bratislava também tem sua atração controversa para a população local. Quando de sua construção, nos anos 70, a Ponte SPN era considerada uma das construções mais modernas do mundo, e é justamente esse contraste arquitetônico com o resto da cidade que a impede de ser unânime entre os moradores e até visitantes.

Construída no modelo “ponte estaiada”, mede 431 metros, atravessando o Rio Danúbio, de um lado a outro da cidade. Sua torre mede 85 metros e, nela, há um deck de observação onde funciona um restaurante e, ao seu redor, há uma plataforma que a circunda, onde corajosos e destemidos podem caminhar, presos por um cabo.

O ingresso custa EUR 7,40 apenas para subir ao observatório e EUR 39 para caminhar ao seu redor no SkyWalk. Mais informações aqui.

Igreja Azul
Apesar de suas formas, cores e adornos pouco convencionais, característicos do estilo arquitetônico art nouveau, a Igreja de Santa Isabel é uma igreja católica, inaugurada em 1908, em consagração à Isabel da Hungria. A riqueza dos detalhes das pinturas nas paredes faz a igreja parecer um misto de caixinha de músicas com casinha de bonecas.

A igreja fica localizada na Alžbety, Bezručova 2, 811 09, na parte oriental da cidade velha de Bratislava.

Hora de comer
Após 3 horas de walking tour e, retornando ao ponto de partida, fiquei livre para almoçar em um dos restaurantes recomendados pelo guia. Escolhi o Bratislava Flagship (Námestie SNP 8, 811 02), onde experimentei a famosa Cesnaková Polievka, uma sopa de alho, servida dentro de um pão e, claro, aproveitei a bebida mais famosa e consumida da Eslováquia, a boa e velha cerveja.

Uma mão na roda
O free walking tour é realmente uma ótima opção para quem tem pouco tempo no destino e está viajando sozinho. É uma oportunidade de fazer uma visita panorâmica, conhecendo as principais atrações da cidade, na companhia de outras pessoas, quiçá, fazendo novas amizades. No mínimo, não faltará quem tire suas fotos! rs

Algumas das atrações acima eu fiz fora do walking tour. Afinal de contas, 3 horas caminhando não são suficientes para ver tudo em uma cidade.

Saldo positivo
Embora tenha achado Bratislava uma cidade muito interessante e prazerosa de conhecer, e até pensar que não me incomodaria em ficar uma ou duas noites por lá, o bate e volta foi mesmo a melhor forma de conhecê-la. Às 16h30 embarquei de volta à Vienna, onde pude aproveitar aquela última noite.

Dicas importantes
Bratislava é servida de aeroporto internacional (BTS). Portanto, é possível chegar lá voando direto do Brasil, com uma conexão em alguma outra cidade da Europa.

A moeda na Eslováquia é o Euro, de modo que a busca por casas de câmbio é dispensada por lá. Os preços são positivamente razoáveis, em relação a outras cidades europeias.

O idioma, incompreensível (ao menos para mim! rs), é o eslovaco. Mas, fala-se inglês em todos os locais de interesse.

A temperatura no inverno pode chegar a -3ºC e, no verão, 27ºC. Pessoalmente, sempre opto por viajar para o hemisfério norte na primavera ou no outono, quando as temperaturas encontram um meio termo e as cidades não estão entupidas de gente.

Bratislava é uma cidade pequena, possível de ser explorada a pé. Entretanto, para os menos dispostos, além de táxi e uber, é possível se locomover de ônibus, ônibus elétrico e uma espécie de bonde – eléktricka.

(*) Especial para o Blog Existe Um Lugar no Mundo
Link: http://existeumlugarnomundo.com.br/bratislava-express-bate-e-volta-de-um-dia-a-capital-da-eslovaquia/

Galeria: